No Mundo das Editoras: Rocco

E aí meus baixinhos queridos! Tudo bem com vocês? Comigo tudo ótimo.
Hoje eu vim com mais um No Mundo das Editoras, onde que eu mostro alguma novidade das editoras! A que eu escolhi para falar dessa vez é a Rocco, selecionei cinco lançamentos do mês de outubro e espero que gostem.



De: Maureen Johnson- O Nome da Estrela
As ruas de Londres nunca foram tão sinistras e românticas. – Cassandra Clare, autora da série best-seller Os Instrumentos Mortais
Nem bem Rory Deveaux pisou em Londres, logo recebeu uma enxurrada de informações sobre o único assunto que parecia interessar a todas as pessoas na cidade: o assassinato de uma mulher seguindo os mesmos moldes do crime praticado por Jack, o Estripador quase um século atrás. Por uma sinistra coincidência, o internato onde a garota recém-chegada dos Estados Unidos iria morar ficava bem na área de atuação do serial killer mais famoso da Inglaterra. Em dias normais, a área já era frequentada por turistas interessados na história. Imagina agora com um maníaco querendo imitá-lo.
As preocupações de Rory no momento, porém, eram outras. Com seu sotaque diferente e a inexperiência de dividir o quarto com outras pessoas, a adolescente estava morrendo de medo de não se adequar à nova vida. Os pais tiraram um ano sabático e iriam lecionar Legislação Norte-Americana na Universidade de Bristol. Eles deram a Rory a chance de escolher onde gostaria de estudar durante este período. Ela não teve dúvida: Londres. Escolheu Wexford, no East End da cidade. Depois de várias horas de voo da Louisiana até a Inglaterra, lá estava ela diante de Hawthorne, o dormitório feminino da escola.
Os primeiros dias transcorreram de forma mais fácil do que o esperado. Teve a sorte de ter apenas uma companheira de quarto e de Jazza ser bem legal. Apesar de não ser popular e já ter ganhado a antipatia da monitora de seu prédio, Rory tinha feito também um amigo especial, Jerome. A única experiência negativa tinha sido se engasgar durante o jantar na frente de todo mundo, mas havia sido apenas um susto. Quer dizer, negativa também era toda essa história de Jack, o Estripador. Pouco tempo depois de sua chegada havia uma nova vítima, justamente no mesmo dia e seguindo o mesmo padrão do crime praticado pelo serial killer em 1888. Era impossível escapar do assunto, ainda mais quando os assassinatos eram praticados tão perto de onde ela estava.
Na data do terceiro assassinato praticado por Jack, o Estripador, a polícia montou um verdadeiro esquema de guerra a fim de coibir um próximo crime. Todos estavam proibidos de deixar os dormitórios. Jerome, porém, estava entediado e convenceu as duas meninas a subir no telhado do dormitório masculino para acompanhar a movimentação lá de cima. A travessura pareceu não ter consequências mais sérias, mas alguma coisa ficou incomodando Rory: por que só ela havia visto aquele homem careca e com roupas ultrapassadas que abordou tanto ela quanto Jazza na volta furtiva ao dormitório feminino? Por que Jazza insistia que não tinha visto ninguém? Quem era aquele homem? Com um frio percorrendo a espinha, logo ela descobriria a resposta. E um grupo bem especial de policiais também.


De: Veronica Rossi- Sob o Céu do Nunca
Aria passou toda sua vida sob a proteção do domo de Quimera. Para a jovem, o mundo sempre foi dentro do espaço confinado do núcleo ou nos reinos virtuais que visitava e não tinha a menor ideia do que a esperava fora das portas de Quimera.

Sob o céu do nunca é o primeiro livro de Veronica Rossi, brasileira radicada na Califórnia. O livro conta as aventuras da jovem Aria, nascida e criada em um ambiente controlado, onde o único contato com a natureza é através de mundos criados a partir de um computador. Moradora de Quimera, núcleo de civilização protegida por um domo, Aria nunca viu o exterior do seu mundo.
Quando perde o contato com Nirvana, outro núcleo, onde sua mãe trabalhava em uma pesquisa científica, Aria tenta descobrir uma forma de restabelecer a conexão. E começa uma aventura emocionante repleta de descobertas chocantes sobre a realidade  em que vive.
Devido a um trágico evento com a surpreendente presença de um Forasteiro, um habitante do mundo exterior, Aria é abandonada no lado de fora de Quimera, nas terras devastadas conhecidas como Loja da Morte. Um lugar assombrado por tempestades de éter, com ar venenoso e habitado por selvagens e canibais.
Surpresa por sobreviver a sua primeira noite no exterior, Aria reencontra o forasteiro que esteve presente no acidente que acarretou o seu banimento, Peregrine ou Perry. Um jovem em busca do sobrinho levado pelos conterrâneos de Aria, um jovem cujos segredos e conhecimentos podem ajudar Aria a descobrir o paradeiro de sua mãe. Juntos, eles partem em uma viagem em busca de respostas e podem encontrar muito mais do que esperavam... Se sobreviverem.
Passado 300 anos após uma catástrofe que devastou a Terra, Sob o céu do nunca segue a tradição dos romances ambientados num futuro distópico dominado por governos autoritários dispostos a manter o poder a qualquer preço. E Veronica Rossi apresenta personagens capazes de conquistar o coração dos leitores. Através de uma narrativa intercalada, ora apresentando a visão de Aria, ora o ponto de vista de Perry, o livro consegue manter o mistério sem perder o ritmo. Rossi criou um universo apaixonante, um mundo perigoso e cruel, mas ao mesmo tempo belo e fiel à tradição iniciada por sagas como Jogos Vorazes e Divergente.
Sob o céu do nunca é um livro perfeito para aqueles que buscam uma grande aventura e grandes personagens.


De: John Grisham- THEODORE BOONE / O ATIVISTA
Com apenas 13 anos, Theodore Boone passa a maior parte do seu tempo livre no Tribunal de Strattenburg, onde sempre encontra uma nova aventura à sua espera. E agora que toda a cidade está envolvida em uma polêmica questão ambiental, Theo se vê novamente à frente dos Holofotes. O jovem bem que queria ficar quieto no seu canto, mas um novo e excitante caso demanda a sua atenção.

O ativista é o quarto livro da série Theodore Boone, de John Grisham. Em sua nova aventura, o aprendiz de advogado fica sabendo dos planos para construção de uma autoestrada e o impacto desta obra na sua cidade e na vida dos moradores. Para Theo, esta é uma decisão errada, e quando o garoto descobre toda corrupção envolvendo o projeto, sabe que vai fazer o que for necessário para a justiça prevalecer.

Com o padrão de qualidade típico de Grisham, o livro mostra como o garoto se envolve em uma luta desigual contra o sistema. Após a tradicional reunião do seu grupo de escotismo, o jovem é abordado por Hardie, um de seus companheiros de grupo, para uma consulta jurídica. O estado está se preparando para tomar as terras da família de Hardie, e o garoto quer saber se esta ação é legal.

Assim como as outras aventuras de Theo Boone, O ativista é recheado de ação e reviravoltas. E traz de volta personagens que os fãs aprenderam a amar: April Finemore, a amiga/namorada de Theo; o tio Ike Boone; o juiz Yeck e seu Tribunal de Causas envolvendo Animais. John Grisham sabe prender o leitor e faz isso com enorme talento. O ativista é mais uma evidência na carreira do escritor e um novo best-seller para as estantes dos seus fãs.


De: Marissa Meyer- Cress
A série Crônicas Lunares, que alcançou a cobiçada lista dos mais vendidos do The New York Times e projetou o nome de Marissa Meyer no concorrido segmento da literatura jovem e young adult, está de volta. Depois de Cinder e Scarlet, a escritora norte-americana apresenta Cress, conto de fadas futurista inspirado em Rapunzel. No terceiro livro da saga, entra em cena a hacker Crescente, conhecida como Cress, aprisionada desde a infância em um satélite na órbita da Terra e forçada pela rainha Levana a rastrear a ciborgue Cinder e seus companheiros Carswell Thorne, Scarlet e Lobo.

Capturada muito jovem, Cress passou a maior parte da vida presa em um satélite, vendo a Terra do espaço e imaginando como seria viver naquele planeta tão azul. Banida de Luna, a jovem teve como companhia somente telas de computador e tornou-se uma talentosa hacker. Vigiada de perto por Sybil, a quem chama de mestra, Cress é obrigada a cumprir as ordens da rainha Levana e descobre tarde demais que usou a tecnologia para facilitar o massacre de milhares de terráqueos.

Pressionada por Sybil para encontrar a Rampion 214, a nave de carga militar roubada pelo capitão Carswell Thorne, na qual também viajam Cinder, Scarlet e Lobo, Cress tenta ganhar tempo. A intenção da hacker é entrar em contato com a tripulação de rebeldes antes que Levana possa fazer algo contra eles. Após se comunicar com a ciborgue e seus companheiros, Cress oferece ajuda na briga contra a rainha, em troca de ser resgatada do satélite. Mas, quando o plano de fuga dá errado, as vidas de Cress, Thorne, Cinder, Scarlet e Lobo ficam em perigo.

Com seu grupo separado, Cinder precisa correr contra o tempo para salvar os amigos e evitar o casamento do imperador Kai com a rainha Levana, que seria a ruína da Terra. Em uma trama repleta de ação e suspense, Marissa Meyer prende a atenção e faz os leitores contarem os dias para o lançamento do próximo volume das Crônicas Lunares, com sua surpreendente mistura de ficção científica e contos clássicos.


O regresso, de Lúcia Bettencourt, é o encontro da ficção com a poesia. O romance trata do retorno do poeta Arthur Rimbaud (1854-1881) à França, em seus últimos meses de vida, depois do longo e misterioso período em que passou na África, trabalhando como comerciante de café, traficante de armas e mercador de escravos, entre outras ocupações.
A narrativa revela a trajetória repleta de angústia e rebeldia de um artista atípico, um gênio precoce que escreveu toda a sua obra na adolescência (o “Barco ébrio” e outros poemas fundamentais) e antes dos 20 anos já havia abandonado a escrita. Mesmo assim, influenciou a literatura moderna e também a contemporânea, influência que perdura até os dias de hoje.

A escolha de personagem tão fascinante e contraditório confirma a sensibilidade e ousadia do projeto romanesco da autora, que mistura a primeira e a segunda pessoa num texto de prosa nervosa e, em seus pontos mais altos, poética. É um Rimbaud virado ao avesso, em sua busca particular pela liberdade e pela verdade, aquele que surge das páginas do livro.
O romance inicia com a frase “Não há partida”. Cabe lembrar que Rimbaud foi um andarilho famoso, tendo percorrido boa parte da Europa a pé – Inglaterra, Áustria, Alemanha, Itália, Suécia: “Desde cedo fui especialista em partir. Ensaios a que me levaram minhas longas pernas camponesas, habituadas aos terrenos mais ásperos, e minha eterna inquietude. Começava a andar e era como se o mundo, do qual apenas conhecia a versão por escrito, me chamasse. E, mesmo quando imóvel, viajava.”
Lúcia Bettencourt também abre espaço para abordar o relacionamento de Arthur Rimbaud com Paul Verlaine (1844-1896). O encontro dos dois poetas na Paris dos cafés e do clima cultural que atraía exilados de todas as nacionalidades foi além da simples troca de versos e impressões. Rimbaud e Verlaine formaram um dos casais mais famosos da literatura, retratado com delicadeza no livro: “Dizem que o encontro com Paul foi sua perdição. Dizem que o encontro com Paul foi sua salvação. Ao chegar em casa, o poeta feio encontrou um jovem de longos cabelos dourados e sujos, olhos muito azuis, mal vestido, e muito magro. Sua voz oscilava entre graves e agudos, e ele corava sempre que os sons se aflautavam demais.”
Na epígrafe do livro, uma citação – “Silêncio, exílio e engenho” – que traduz a concepção do romance, sua engenharia em dois blocos, uma dupla exposição que é perfeita para retratar um personagem tão ambíguo. Tudo nos é lembrado e contado por um homem no limiar da loucura, sofrendo as dores de um câncer ósseo na perna. Em outro plano, um leitor apaixonado folheia os versos do poeta, como quem os reescrevesse, e refaz a sua biografia. Conjugando de maneira notável História e ficção, Lúcia Bettencourt convida o leitor a um privilégio que só a literatura é capaz de proporcionar: viajar no tempo e penetrar a intimidade de um artista genial.


Então é isso pessoal! Espero que tenham gostado dessa postagem, comentem aí em baixo: quais desses lançamentos você mais curtiu ou se você tem algum livro da editora, que quer tanto ler. E se for a sua primeira vez aqui no blog: não deixe de seguir, se inscrever no canal, curtir a página do blog lá no Facebook, me seguir no Twitter e me adicionar no Skoob.

No mais é isso! Muito obrigado pela sua atenção e até a próxima. Tchaau.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário