No Mundo das Editoras: Belas Letras

E aí meus baixinhos queridos! Tudo bem com vocês? Comigo tudo ótimo.
Como vocês já viram aí no título, hoje eu vim mostrar algumas obras divulgada pela Belas Letras, por incrível que pareça são lindas e espero que gostem. Vamos lá?


Rosa                             Azul
Então está aqui tudo o que eu guardei por algum tempo. A partir de agora eu pretendo escrever, desde o começo, a nossa história (se é que eu posso chamar assim). O nosso (des)romance. Acho que a melhor maneira de se livrar de alguma coisa (neste caso, de alguém) é colocando para fora. Então é isso que eu vou fazer. Eu vou te exorcizar de mim. Que droga. Que droga, Gabriel Vegas. Eu gostava de você pra caramba.


De: Kevin J. Anderson
Clockwork Angels: os Anjos do Tempo (capa flexível)
BESTSELLER DO NEW YORK TIMES

O melhor ponto de partida para uma aventura é uma vida perfeita e tranquila... e alguém que percebe que isso não é o suficiente.

No mundo do jovem Owen Hardy, tudo tem sua hora para acontecer. Ele vive em uma sociedade aparentemente perfeita, graças à administração precisa do Relojoeiro. A vida segue um roteiro cuidadosamente planejado para que nada afete a estabilidade conquistada depois de anos de guerras. Até o dia em que, pela primeira vez, um imprevisto acontece e Owen se vê abandonando sua terra natal para viver uma grande – e imprevisível – aventura, entre civilizações perdidas, piratas, anarquistas e alquimistas.

Os Anjos do Tempo é uma história de ficção científica escrita pelo mestre do gênero steampunk Kevin J. Anderson, inspirada nas músicas da lendária banda de rock Rush, em parceria com o compositor e baterista Neil Peart. Uma fábula “nostálgica, estranha e encantadora”, ilustrada pelo premiado designer Hugh Syme, sobre a beleza que há na luta entre a ordem e o caos, entre a realidade e o sonho.


De: Thedy Corrêa
Os poemas deste livro poderiam ser canções, cada uma com uma história para contar, na voz do líder da banda Nenhum de Nós. Em suas noites de insônia, quando fala com ele mesmo, Thedy Corrêa está falando com o leitor. Ou, talvez, cantando para o leitor. Uma melodia que tem vida não apenas pela palavra, mas pelo traço de alguns dos maiores ilustradores brasileiros, convidados a transformar o som dos poemas em belíssimas imagens. Um convite para sentar, ler e, sobretudo, ouvir o que cada verso rabiscado numa noite de insônia tem a nos contar.


De: Vitor Ramil
Meio-dia: crianças correndo ao redor da mesa; a avó cortando em tiras o talharim. Na algazarra de primos, talheres, campainha, um canário tem seu destino roubado. O prego que, há pouco, pendurava a gaiola, pendura só perguntas: “Alguém teria colocado o pássaro ao sol?”; “Morreu, e a vovó não quis contar?”. Nem todas as perguntas têm resposta. Mas toda história pode ter um fim melhor – nem que seja inventado.






Então é isso pessoal! Espero que tenham gostado desses livros que mostrei pra vocês, comentem aí em baixo se vocês leram algum destes ou se vocês já leram algum livro dessa editora. Se for a sua primeira vez aqui no blog, não deixe de seguir, se inscrever no canal, curtir a página do blog lá no Facebook, me seguir no Twitter e me adicionar no Skoob.

No mais é isso! Muito obrigado pela sua atenção e até a próxima. Tchaau.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário