Vamos conversar? Homofobia

E aí meus baixinhos queridos! Tudo bem com vocês? Comigo tudo ótimo.
No "Vamos conversar?" de hoje, iremos falar de um assunto muito abordado que é a Homofobia.


Primeiramente teremos que saber o que é a Homofobia! No Wikipédia Homofobia (homo, pseudoprefixo de homossexual, fobia do grego φόβος "medo", "aversão irreprimível") é uma série de atitudes e sentimentos negativos em relação a pessoas homossexuais, bissexuais e, em alguns casos, contra transgêneros e pessoas intersexuais. As definições para o termo referem-se variavelmente a antipatia, desprezo, preconceito, aversão e medo irracional. A homofobia é observada como um comportamento crítico e hostil, assim como a discriminação e a violência com base na percepção de que todo tipo de orientação sexual não-heterossexual é negativa.

Como devem saber à poucos meses li o livro Apenas um Garoto do autor Bill Konigsberg que pelo o que pesquisei é homossexual "sim, ele gosta de homens" e além desse livro eu também li TRAMA, cuja, um dos autores também é homossexual! Falo de Michael Jensen.

 TRAMA
TODO MUNDO FAZ PARTE DE UMA TRAMA.
O sonho de Nels era ser cavaleiro do reino de Avërand. Filho obediente, ajudava como podia os moradores de sua pequena e tranquila aldeia. Querido por todos e tratado como herói, acreditava que logo seria selecionado como escudeiro da cavalaria.
Mas isso foi antes de ser assassinado por uma figura misteriosa.
Nels virou um fantasma, e agora só uma pessoa consegue vê-lo: a princesa Tyra, herdeira do reino e sua única esperança de entender o motivo do crime. A princípio, a jovem mimada não dá a menor confiança para o rapaz, mas, à medida que o mistério da morte dele vai se desenrolando, os dois percebem que têm em comum um segredo e um inimigo terrível, que pode se disfarçar de qualquer pessoa.
Nels e Tyra não têm escolha. Precisam fugir do castelo, desbravar um mundo oculto repleto de magia e espectros sombrios e encontrar uma agulha, a relíquia capaz de remendar o que foi descosturado na Grande Tapeçaria. E o tempo corre contra eles, pois o fio de Nels está prestes a desaparecer para sempre.


Apenas um Garoto
Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa.
Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco.
O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros.



Em Trama não é abordado "o assunto homossexualidade" e sim em Apenas um Garoto onde conhecemos na visão do protagonista o que é ser um garoto que gosta de outro garoto! Como sabemos a Homossexualidade (do grego antigo ὁμός (homos), igual + latim sexus = sexo) refere-se à característica, condição ou qualidade de um ser (humano ou não) que sente atração física, estética e/ou emocional por outro ser do mesmo sexo ou gênero.

Em uma pesquisa do site G1 em 2013, dizia que 37% dos brasileiros não aceitariam que seus filhos fossem homossexual e de acordo com essa pesquisa eram mais de 60 mil casais homossexuais. A minha pergunta é! Será que esse preconceito ainda existe? Você é preconceituoso?

Não Marcio! Eu não sou preconceituoso.

Então você leria esses livros tendo em mente que os autores são homossexuais e dentre esses livros um fala abertamente do assunto?

Não! Por que não se encaixa com os meus princípios.

O que posso falar então? Você assumiu que é preconceituoso, mesmo não querendo ser. Nem se quer quis ou quer dar uma oportunidade para esse tema que é tão abordado.

Ah Marcio! Você falando desse jeito parece que é um deles.

Não! Eu não sou e muito menos estou os defendendo, mas me responde agora "você"! Quantas vezes você precisou de um amigo "seu" que é desse gênero? "Várias vezes NÊ?" Quantas vezes você foi julgado por ele por ser heterossexual? "Nunca NÊ?" Ele merece seu respeito e isso você não pode negar.

Não precisa aceitar, apenas respeite essa pessoa que ela lhe respeitará.


Por mais que os livros sejam escrito por homossexuais ou falam sobre o assunto. Não significa que a história vai ser ruim. Existem muitas obras boas, basta apenas darmos a devida oportunidade que elas merecem.

Sei que é difícil abordarmos esse assunto hoje em dia, mas com tanto preconceito é sempre bom conversarmos com as novas gerações para elas estarem atualizadas. Não basta apenas aceitarmos, temos que respeitar a opção sexual das pessoas para assim sermos respeitados.

"Lembrando." Não estou defendendo e muito menos sou um deles, apenas os respeite e isso é o que importa.




Como vocês puderam ver nesses vídeos que disponibilizei, muitos homossexuais são ótimas pessoas e quem sabe você até curta o trabalho deles! Não importa se é cantor, escritor e dentre outros profissionais muito prestigiados de hoje em dia.



E o que seria de nós se não abordássemos outra questão aqui na postagem! Me lembrei de outro livro que tem uma pegada parecida com esse tema, mas aborda brevemente a homossexualidade... Quem aqui  curte as performes das  Drag Queens? Para quem não sabe as Drag queens são personagens criados por artistas performáticos que se travestem, fantasiando-se cômica ou exageradamente com o intuito geralmente profissional artístico. Na maioria das vezes, apresentam-se em boates e bares LGBT, embora haja drags que façam eventos para público misto e heterossexuais, como animação em festas de casamento, debutantes e formaturas. Muitas fazem também correio elegante ou correio animado, levando mensagens de amor ou felicitações com performances características... O livro que aborda esse assunto em um determinado tempo da história é

Traços
Quando Matheus aceitou acompanhar Beatriz na festa do colégio, jamais imaginou que terminaria a noite participando de um ritual místico (de veracidade duvidosa) para saber o que o futuro reservava para ele e a amiga. Assim que as velas que os cercavam se apagam e uma resposta esquisita encerra a cerimônia, Beatriz leva o resultado a sério e entende que deve fugir da cidade pequena para se encontrar com seu destino nas ruas da capital de São Paulo. Perdido no meio de tudo, Matheus é obrigado a repensar o que considera certo ou errado quando é convidado para participar do plano maluco de fuga e decide que precisa passar por cima dos limites impostos pelos pais para finalmente ser capaz de entender quem realmente é. Os dois amigos partem sozinhos para São Paulo e carregam consigo não somente as malas nas costas, mas também o peso de todos os problemas que achavam que estavam deixando para trás. Sem ter ideia do que estão enfrentando, Matheus e Beatriz descobrem mais sobre si mesmos, criam, quebram laços e encaram desafios que jamais pensaram que confrontariam enquanto contavam as moedas para realizar esse grande plano que iria mudar suas vidas para sempre.





Elas também são muito julgadas pelo o que fazem, mas estão ganhando seu ganha pão trabalhando e alegrando o mundo a fora. Existe um reality show nos Estados Unidos que tem como foco a batalha de performance das Drag queens e muitos brasileiros assistem e talvez você também conheça o RuPal's Drag Race, que como já dito é para ver a melhor interprete que existe.

Em geral era isso que eu queria abordar hoje para vocês, comentem aí em baixo algum tema legal para abordarmos em uma outra postagem que trarei sem problemas dando um relatório e indicando alguns livros para vocês lerem. OK?


Então é isso! Não esqueçam de seguir minhas redes sociais e claro sigam o blog para receberem em seu feed tudo que eu postar. No mais é isso, muito obrigado pela sua atenção e até a próxima. Tchaau
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário